A Escolha, de Kiera Cass

27 outubro 2014 |

Sim, isso é uma resenha. Depois de meses – mais precisamente, desde fevereiro – sem ler nada, o milagre aconteceu em agosto. E daquele jeito incrível de virar a noite acordada, de se emocionar com os personagens, de ler em pouco mais de 24hrs. É como se eu tivesse me encontrado novamente. Obrigada, Kiera Cass.

“A Escolha”, como toda a série, é envolvente e gostoso de ler. A leitura vai fluindo de forma tão natural que, sem perceber, eu já estava na página 100. A narrativa da Kiera é uma das melhores que já li.

Tive muitos sentimentos enquanto lia: eu odiava e amava o Maxon ao mesmo tempo, queria dar um soco na America por ser tão lerda e burra, torcia pro Aspen cair num buraco qualquer e nunca mais voltar. E talvez o mais impressionante de tudo: como eu acabei amando tanto a vadia da Celeste no final das contas, depois de tudo que ela fez? Tem alguma coisa errada quando você torce pela vilã e acha o príncipe um babacão desde o livro passado, né?

“ – Pode partir meu coração. Mil vezes, se desejar. Sempre foi seu para machucar como quiser.”

A America, já falei, burra demais. Sempre se complicando, sempre com medo de arriscar, sempre querendo tudo e não fazendo nada por motivos de mimimi. Sou a pior pessoa do mundo quando se trata de sentimentos, mas também sou prática e sem rodeios. Eu deveria ser amiga dela, ia dar uns tabefes e mandar acordar pra vida.

O final acabou ficando meio corrido por causa das reviravoltas, a Kiera resolveu deixar todo mundo tenso faltando 20 páginas pra acabar, e aí pareceu que poderia ter umas páginas a mais. Além disso, parece que ela andou frequentando a aula de “como matar personagens” do Tio Martin, mas isso é spoiler e vocês terão que ler pra saber ;-)
desenvolvido por letícia santos © 2010 - 2015 | voltar ao topo