Perdida, de Carina Rissi

27 novembro 2012 |

Livro: Perdida | Autor: Carina Rissi 
Editora: Baraúna | Páginas: 472
Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Eu já disse várias vezes que sempre tive problemas com livros nacionais. Nada contra, é claro. Só que, de Thalita Rebouças a Paulo Coelho, eu nunca tinha encontrado um livro nacional que me prendesse e fizesse virar a noite lendo sem nem perceber, que me fizesse gargalhar e me apaixonar e chorar loucamente. Sabe, essas coisas que caracterizam um livro realmente bom... Até ler Perdida.

Ok, vamos por partes. Sofia é engraçada, desastrada, completamente dependente de tecnologia. Ela ameaça quebrar o nariz de um cara lindo que só quer ajudá-la. E acha normal falar de sexo com um homem desconhecido em 1830! Deu pra perceber que fui com a cara dela instantaneamente?

E tem o Ian que é, tipo assim, perfeito, maravilhoso, magnífico, eu já disse perfeito? Um verdadeiro cavalheiro, e que ainda tem pegada! Apaixonei perdidamente e não tenho mais palavras para descrever esse lindo <3

Eu me senti mal mentindo para ela. Mas o que eu podia dizer? Elisa, tô saindo fora porque cansei de ver esta piriguete dar em cima do seu irmão?

E quando eu digo que a protagonista é engraçada, eu quero dizer hilária MESMO! Eu ri o tempo todo - menos numa certa parte, quando eu chorei de soluçar. O desespero de Sofia com a casinha e o pé de alface foi provavelmente a coisa mais engraçada que eu já li. E devo falar que esse casal é amor, fofura e outra coisa que a classificação etária não me permite dizer. Sim, temos cenas quentes e muito bem escritas!

A única coisa que me incomodou levemente é que achei que Sofia fala gírias demais pra uma pessoa que lê tanto. Não que eu seja a rainha da linguagem culta, só acho que a gente já fica mais formal falando com desconhecidos, sabe?

E ri várias vezes de mim mesma porque quando as coisas estavam "indo bem" eu ficava pensando e falando sozinha: Ai meu Deus, tem muito livro pela frente ainda! Vai dar tudo errado! E quando a Sofia inventava mais alguma coisa doida eu pensava: Deixa de ser burra, vai dar merda!

Pensei um pouco sobre os buracos. Pra que dois? Seria buraco para líquidos e buraco para sólidos? Ou seria para interação social. Você convida alguém para ir até a casinha e bate um papinho enquanto faz... a oferenda?

Enfim, vou parar por aqui antes que eu solte spoilers. Digo apenas que é um romance épico super divertido e com aquela emoção de conto de fadas que entrou para os favoritos e que eu SUPER RECOMENDO. Agora é ler Procura-se Um Marido (segundo livro da Carina) e saber se amarei tanto quanto Perdida.

desenvolvido por letícia santos © 2010 - 2015 | voltar ao topo