A Hospedeira, de Stephenie Meyer

20 outubro 2010 |
A Terra foi ocupada por um inimigo que não pode ser detectado. O humano se tornou hospedeiro desses invasores: sua mente é extraída, enquanto o corpo permanece intacto. A nova consciência que o ocupa passa então a conduzir sua vida, que aparentemente prossegue sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Melanie Strider não. Junto aos poucos remanescentes de nossa espécie, ela vive em segredo. Até, um dia, ser capturada. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, fora alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, as sensações tão intensas, a persistência das lembranças e das memórias, vívidas demais. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos humanos que ainda resistem. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por aquele humano a quem, contrariadamente, foi submetida. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que as duas amam.

A história começa no momento em que o Curandeiro está inserindo a nova alma – Peregrina – no corpo humano de Melanie. Mas após a inserção Peg percebe que Mel está mais consciente do que se poderia imaginar, e Mel começa a dividir seus pensamentos e lembranças com Peg, ao mesmo tempo em que cria uma barreira para empedir Peg de descobrir um segredo que Melanie daria a sua vida para proteger. E então, dividida entre a sua própria natureza e a de Melanie, Peg vai em busca de Jared – o homem que Mel ama –, em um lugar onde não se sabe em quem confiar.

Na primeira vez em que ouvi falar nesse livro eu fiquei desesperada para lê-lo. Não que eu gostasse de ficção científica, mas porque era de Stephenie Meyer. E eu achava que qualquer livro que ela escrevesse seria maravilhoso. E não estava errada. Faz muito tempo que eu li A Hospedeira mas precisava fazer uma resenha dele porque é um dos melhores livros que já li.

Sinceramente, os primeiros capítulos são confusos e me deram vontade de desistir do livro. Coisas como “buscadores” e “curandeiros”, no contexto, me fizeram boiar completamente. Até que as coisas começaram a ficar mais claras e, quando percebi, estava devorando capítulo após capítulo.

Foi impossível não me apaixonar pela pureza das almas como Peregrina. Afinal, apesar de invasoras, elas queriam apenas proteger a Terra dos próprios humanos. Me fez refletir sobre o que o ser humano tem feito com o planeta.

O livro é uma ficção científica sem cara de ficção científica. A história se desenvolve sem enrolação. Alguns personagens me fizeram odiá-los e depois simpatizar com eles novamente. E eu achei o fim fofo e diferente do que eu previa.
É possível amar uma pessoa com a mente e outra com o coração ?
desenvolvido por letícia santos © 2010 - 2015 | voltar ao topo